Estimulando a Confiança

Quando um atleta acredita em si mesmo, ele tem mais chances de atingir seus objetivos e seu bem-estar psicológico é maior. Trabalhar para ter mais confiança é uma tarefa fundamental para qualquer atleta. A autoconfiança estimula os esforços e aumenta sua perseverança durante as adversidades.
A confiança não é uma variável estática, mas muito pelo contrário: eventos externos ou pessoas no ambiente influenciam muito de forma positiva ou negativa. Por exemplo, um adversário difícil ou competir em um local desconhecido pode diminuir a crença do atleta na vitória.
No entanto, isso não significa que nada possa ser feito a respeito. O segredo é saber identificar situações problemáticas e ter os recursos para evitar que a confiança diminua nesses momentos.
Mude o foco de sua motivação
A abordagem da motivação se refere ao que move um atleta, e por que ele se esforça durante o treinamento e as competições.
Conhecer essa abordagem fornece informações valiosas sobre o que o atleta deseja e o que evita, bem como pode ser usado para beneficiar sua autoconfiança.
Principalmente, existem dois focos motivacionais: orientação para a tarefa – quando a fonte de motivação é o aprimoramento de habilidades e o alcance de objetivos pessoais; e orientação do ego – quando o que se busca é a comparação com os outros e se tem como objetivo superá-los.
Para construir confiança, é preferível uma abordagem motivacional orientada para a tarefa. Ver metas e avanços de habilidades sendo alcançados é um reforço duplo muito benéfico para a autoconfiança.
Estabeleça metas!
Embora possa parecer uma tarefa simples, saber definir metas corretamente pode ser um verdadeiro quebra-cabeça para o atleta. Sendo assim, o estabelecimento de metas é uma ferramenta bastante utilizada como parte do treinamento mental, realizado junto com o psicólogo do esporte.
Ao definir metas, devemos ter a consciência de que elas são desafiadoras para nos manter motivados, mas, acima de tudo, que elas possam ser realistas – pois, se colocarmos uma meta muito superior ao nível em que nos encontramos, podemos gerar uma determinada frustração, o que pode nos desmotivar a competir. Outro fator importante ao estabelecer metas é especificar o tempo em que quero atingi-las.
Meta de Performance x Meta de Processo
A Meta de Performance está ligada ao resultado final. Por exemplo: quero terminar essa prova abaixo de 40 segundos, ou quero vencer a provas dos 200 metros livres.
A Meta de Processo está focado nos comportamentos ideais. Por exemplo: quero melhorar a braçada no treino, fazer os exercícios preventivos, dormir melhor, me alimentar melhor… o foco está no dia a dia e na evolução de forma continua que nos levará a melhorar o desempenho, e, consequentemente, nos trará uma condição melhor para competir – e, sendo assim, ficaremos próximos de atingir a meta de performance.
Também é muito importante reforçar-se e felicitar-se por todas as conquistas alcançadas, pois, ao atingirmos a nossa evolução, liberamos dopamina – um neurotransmissor que nos traz um fluxo de bem estar.
Mude o conteúdo dos seus pensamentos
Ao longo do dia produzimos muitos pensamentos, que variam tanto em intensidade quanto em seu conteúdo emocional. A verdade é que nossos pensamentos têm muito poder para modular as crenças de segurança.
Pensamentos negativos diminuem a autoconfiança. E não só isso: um atleta que não acredita que é capaz de atingir determinado resultado fará menos esforço, e isso reforçará sua percepção de que não é capaz. Esse fenômeno é conhecido na psicologia como profecia autorrealizável.
Ao contrário, os pensamentos positivos estão favoravelmente relacionados à confiança. No entanto, o truque não é ter sempre pensamentos positivos e tentar bloquear os negativos – mas, sim, reconhecer que você pode ter um pensamento negativo temporário e aceitar que eles são um produto da mente, e que não significa que sejam realidade.
Ser mais confiante fará você se sentir melhor
Trabalhar para aumentar a confiança envolve uma mudança radical nas percepções e crenças do atleta. Isso implica ter que modificar a maneira como você se vê, e o valor que você se dá. O resultado final é um estado de bem-estar mental e fortalecimento.
A autoconfiança não está apenas relacionada a emoções e pensamentos positivos; o atleta autoconfiante é capaz de reagir melhor a eventos imprevistos, e tem estratégias de enfrentamento mais eficazes para superar obstáculos.

Marcos Gercino

Marcos Gercino

Especialista em psicologia do esporte
Atuou em equipes profissionais de futebol e voleibol, atendimento clinico com atletas de diversas modalidades coletivas e individuais

Postagem anterior
Próxima postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *