Por que o autocontrole é importante para o seu desempenho esportivo?

Frequentemente vemos situações em que os atletas “perdem o controle” e agem de forma inadequada, sendo muitas vezes punidos e gerando sérios prejuízos. Na Psicologia, podemos nomear isso como falta de autocontrole. Mas afinal, o que é autocontrole e por que ele é importante para o desempenho esportivo?
Antes de tudo, temos que destacar que o autoconhecimento é essencial para o autocontrole. O autoconhecimento consiste na habilidade de identificar e descrever eventos que ocorrem com nós mesmos e com a nossa interação com o mundo, incluindo duas importantes habilidades: a de auto-observação e de autorrelato. Enquanto a auto-observação envolve a capacidade de observar as condições em que me comporto de determinada maneira, o meu próprio comportamento e as suas consequências, o autorrelato consiste em relatar aquilo que foi auto-observado.
Logo, um atleta que tem melhor autoconhecimento, isto é, que sabe identificar o porquê age e como age e as consequências do seu comportamento, está em melhor posição para prever e controlar seu próprio comportamento – o que definimos como autocontrole.
Isso significa que se conheço as variáveis que controlam o meu comportamento de ficar ansioso antes da competição, tenho mais chances de modificar essas variáveis, estabelecendo maior autocontrole. Se fico ansioso porque tenho medo de não ter um bom desempenho, de ser julgado pelo técnico, de perder patrocínio, entre outros, e isso atrapalha o meu desempenho, posso modificar algumas variáveis e estabelecer algumas estratégias, como reavaliar o evento ameaçador, concentrar-se no que posso controlar e no que devo fazer em termos de tarefa e utilizar a respiração para reduzir a ansiedade cognitiva (dos pensamentos que geram ansiedade) e somática (das sensações fisiológicas do meu corpo).
Assim, percebemos que o autocontrole é importante para o desempenho esportivo, já que auxilia o atleta a:
1: Regular suas emoções

Diante de uma situação que o atleta identifica que sente raiva ou ansiedade, ele pode estabelecer estratégias para autorregular suas próprias emoções.

2: Não tomar decisões precipitadas

Quando o atleta sabe porquê e como age em determinadas situações, ele pode se antecipar para tomar decisões mais assertivas e que promovam seu bom desempenho esportivo.

3: Não agir de forma impulsiva

Se o atleta sabe que algumas condições o fazem agir de forma impulsiva, como discutir com o técnico ou mesmo queimar a largada, ele pode modificar algumas variáveis e estabelecer estratégias, como respirar fundo, utilizar a autofala e concentrar-se na tarefa.

4: Manter-se motivado

Quando o atleta sabe quais variáveis motivam seus comportamentos e conta isso para seu técnico, por exemplo, fica mais fácil ajustá-las para mantê-lo motivado, elaborando rotinas de treino que estejam de acordo com isso.

“Aquele que domina os outros é forte. Aquele que domina a si mesmo é poderoso”
Lao-Tsé

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Postagem anterior
Próxima postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *