Relação treinador-atleta: o que nadadores, treinadores e pais precisam saber

Uma boa relação entre treinador e nadador certamente está por trás de um bom desempenho dentro d’água. O trabalho dessa dupla é tão importante para o atleta profissional que busca performance, como para o iniciante que deseja aprender a modalidade. Através do trabalho dessa dupla, podemos promover confiança, motivação e autonomia para o atleta. Além disso, a família do nadador também precisa reconhecer e respeitar essa importante relação.
Dito isso, seguem alguns recados importantes para você nadador, treinador ou família:
Se você é um nadador, iniciante ou profissional, saiba que precisará ter uma postura ativa para manter uma boa relação com seu treinador. Primeiramente, é essencial que você se comunique bem e frequentemente com ele. Para o trabalho de vocês evoluir, você precisará contar para ele como você está se sentido, e só você sabe o que se passa dentro de você quando está debaixo d’água! Não está entendendo uma técnica? Pergunte. Está com dor? Avise. Está desmotivado? Diga.
Manter o canal de comunicação de vocês sempre aberto te ajudará a se manter motivado, confiante e sem dúvidas do trabalho que estão fazendo.
E por falar em confiança, confie nas orientações e instruções do seu treinador! Ele tem uma grande bagagem de conhecimento e certamente sabe do que está falando ao te orientar nos treinos.
Agora, se você é um treinador, saiba que os seus feedbacks são cruciais para o rendimento e também para o bem-estar do seu nadador. Dê feedbacks que apontem de forma clara e simplificada o que o atleta deve fazer, e não fique repetindo o que ele não deve fazer. Aponte seus pontos fortes, mas também seus pontos fracos que devem ser trabalhados. Você é uma pessoa importante para a construção da confiança dos seus nadadores.
Seja um bom ouvinte também! Dessa forma, o atleta terá mais facilidade em se comunicar com você.
Ajude seus atletas a estabelecerem metas realistas e desafiadoras.  Assim você os ajuda a manterem a motivação, saírem da zona de conforto e manterem o rendimento nos treinos.
Por fim, precisamos também falar com a família, que será importante para fazer tudo isso acontecer se participarem na medida certa. Uma vez que escolheram um bom profissional para treinar o filho ou filha de vocês, confiem no trabalho que está sendo feito! O excesso de interferência dos pais na relação atleta-treinador pode causar dúvidas na cabeça do atleta sobre qual orientação seguir, se dos pais ou do treinador. O excesso de interferência também pode prejudicar o desenvolvimento da autonomia, que é uma habilidade muito importante dentro e fora das piscinas. Já que os pais estão sempre ali antecipando problemas e oferecendo soluções, o atleta tende a ser menos capaz de resolver problemas.
Confiem no trabalho construído entre treinador-atleta e fiquem com a melhor parte: apoio e torcida incondicional. 

Anna Vitória Renaux

Anna Vitória Renaux

Psicóloga pela Universidade Federal de São Paulo e Mestre em Ciências da Saúde

Postagem anterior
Próxima postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *