Mão aberta ou mão fechada?

Quando você nada crawl, você mantém seus dedos juntos, ou nada com a mão aberta? Nunca pensou nisso?
A discussão é antiga, como também é antiga a conclusão de um dos maiores estudiosos de natação: o americano James Counsilman publicou um livro, ainda na década de 1960, onde fez uma análise colocando mãos de gesso em análise biomecânica. As mãos tinham posicionamento diferentes: algumas com os dedos abertos, outras com os dedos juntos, e algumas até em posição “enconchada”.
A conclusão é antiga, e os resultados mais expressivos foram obtidos quando a mão está espalmada – sendo indiferente se os dedos estão juntos ou separados. Dedos abertos ou não, o que realmente conta é a superfície de contato da mão com a água.
Assim, o mais importante é ter a mão espalmada e aberta, sendo opcional manter os dedos juntos ou separados. A corrente mais moderna, inclusive, até sugere que os dedos fiquem levemente separados – mas isso é muito mais uma característica, do que uma necessidade.
Aqui vale uma dica muito importante: a força da braçada de um nadador está na ação propulsiva de puxar a água, jamais na contração da mão. Portanto, tão importante quando ter a mão na posição correta da ação motora, é deixá-la relaxada. Jamais coloque contração para manter a mão ou os dedos contraídos.
Nosso esporte é singelo. A combinação de esforços e, principalmente, de ações propulsivas e de recuperação, incrementam muito a importância da sensibilidade. Mas, isso é assunto para um próximo texto.
Boas braçadas…

Postagem anterior
Próxima postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *