Raspar ou não raspar? Eis a questão.

Por que os nadadores se raspam? Quando se raspa? Serve para alguma coisa?
Com certeza você já deve ter escutado isso, e quase sempre se fala na questão dos pelos e o quanto isso causa “atrito” na água. A remoção dos pelos é importante mas, por incrível que pareça, não é o principal motivo para a raspagem na natação.
Aliás, nadador se raspando não é coisa nova. A história diz que foi o australiano John Henricks que, em 1953, por recomendação do pai, foi o primeiro nadador a utilizar a raspagem às vésperas de uma competição importante. Henricks e toda a equipe da Austrália estavam raspados na campanha olímpica de 1956 em Melbourne, quando o país ganhou a natação pela primeira e última vez na história, com oito medalhas de ouro.
De lá para cá, a raspagem ganhou aceitação mundial e estudos científicos comprovam a sua eficiência. Entretanto, um dos principais efeitos demonstrados é que, quando você se raspa, você não só remove os pelos – mas, também, torna os terminais nervosos da sua epiderme (pele) mais sensíveis, sentindo melhor a água e os movimentos.
Este ganho de sensibilidade (devido aos terminais nervosos) e diminuição do atrito (remoção dos pelos) fazem da raspagem algo importante e recomendável para atletas de alto rendimento.
Outra questão que se soma a estes dois princípios, é do número de vezes que o nadador irá se raspar. Ao se raspar todos os dias, você tem a diminuição do atrito, mas perde o efeito da sensibilidade. A recomendação para o atleta de alto rendimento é de duas a três raspagens ao ano. Assim, fica fácil entender por que os principais nadadores do mundo chegam às vésperas das grandes competições todos peludos, muitas vezes com bigode e barba. É a tal da sensibilidade.
O processo de raspagem também requer atenção específica. A utilização de cera e de outros removedores de pelos atinge o efeito da diminuição do atrito, mas se perde a exposição dos terminais nervosos que é alcançada com a raspagem direta da pele.
A sequência mais indicada para a raspagem é:
1. Passar uma máquina para diminuição dos pelos.
2. Raspar o corpo com água morna (facilitando abertura dos poros), sempre usar uma gilete nova (minimizando possíveis infecções) e usar um creme para facilitar a raspagem.
3. Após a raspagem, evitar roupas justas, deixando o corpo mais exposto melhorando a oxigenação e também evitando as infecções.
Depois disso, o negócio é nadar rápido!
Boas braçadas!

Postagem anterior
Próxima postagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *